Posts Tagged ar livre

ORQUESTRA DE SOPROS DA EPABI NO TEATRO DAS BEIRAS

cartaz_orquestra-de-sopros

Apoio: Câmara Municipal da Covilhã

Anúncios

,

Deixe um comentário

“Farsas per musica” em Idanha-a-Nova

Amanhã, 21 de agosto, às 21h30, Idanha-a-Nova recebe o Teatro das Beiras que apresentará o espetáculo ao ar livre “Farsas per musica” de Carlo Goldoni, no auditório exterior do Centro Cultural Raiano.

A 22 de agosto, às 21h30, o espetáculo “Farsas per musica” apresenta-se nas Termas de Monfortinho, no polidesportivo, também em Idanha-a-Nova.

Organização do Município de Idanha-a-Nova.

, , , ,

Deixe um comentário

“Farsas per musica” em cena até 7 de julho

“Farsas per musica” de Carlo Goldoni

Espetáculo para o ar livre

O Teatro das Beiras convida-o para a estreia do novo espetáculo ao ar livre, “Farsas per musica de Carlo Goldoni, dia 21 de junho às 22h, no Teatro das Beiras. Estará em cena até 7 de Julho, de terça a sábado. O bilhete tem o preço de 6 euros (vários descontos no local).

Este slideshow necessita de JavaScript.

O espetáculo

“Farsas per musica” é uma proposta de espetáculo sustentado no perfil de um teatro itinerante de “estrado” e ar livre, numa citação contemporânea do teatro barroco marcado por uma destacada intervenção musical inspirada na tradição do teatro musical burlesco.

Espetáculo construído numa abordagem do teatro no teatro onde os atores de hoje se revêem numa prática artística que é ao mesmo tempo um exercício de representação citando os seus antepassados companheiros de ofício.

Este espectáculo é organizado a partir das farsas:  Il Matrimónio Discorde e La Cantarina Amores, ciúmes, seduções, dinheiro e fingimentos, são ingredientes de um teatro que está prestes a deixar cair as máscaras tipo da comédia del’arte para dar lugar a personagens com traços de caráter realista e rosto humano, anunciadores de mudanças sociais que chegariam com a Revolução Francesa. A aristocracia em decadência e a burguesia em ascensão disputando no palco os seus privilégios materiais e éticas morais num tom burlesco e poético capaz de provocar o olhar curioso e complacente do espetador do nosso tempo.

Encenação: Gil Salgueiro Nave | Tradução: Luís Nogueira | Cenografia e figurinos: Luís Mouro | Música: Helder Gonçalves | Interpretação: Fernando Landeira, Pedro da Silva, Rui Raposo Costa, Sara Gabriel e Sónia Botelho | Desenho de luz: Jay Collin

, , ,

Deixe um comentário